Papo Descomplica

Dia dos Solteiros: Como ser solteira depois dos 30 (E sobreviver)?

Existe solteirice depois dos 30? 

Quem acompanha o Descomplica os Trinta com frequência sabe que sou casada. Casei antes de entrar na década dos trinta, ainda com 28 anos.

Por isso não posso falar sobre ser solteira depois dos trinta como vivência pessoal, pois não senti na pele essa experiência, mas posso devanear sobre o assunto pautada em histórias próximas a mim.

Tenho muitas amigas solteiras com 30 anos, algumas com 31, 32… Tenho colegas que casaram há pouco tempo aos 35, outras que ficaram solteiras depois de muitos anos aos 33, 34.

Ainda, tenho amiga desesperada para casar, outras que correm quilômetros para fugir de um buquê em festa de casamento e outras que já viveram a experiência e estão muito bem obrigada hoje sozinhas.

O que posso dizer? Cada mulher tem seu tempo, seus motivos, suas escolhas, prioridades, vontades e traumas pessoais, mas o que todas elas têm em comum? A cobrança social.

Não é difícil de ouvir em pleno ano de 2017 brincadeiras maldosas sobre mulheres que “ainda” não casaram depois dos 30 anos, se nem namorar, namora o tom da piada fica um pouco mais espessa. Comentários do tipo “ficou para titia” infelizmente ainda existem e o famoso “tão bonita, deve ter um gênio” é propagado aos quatro ventos, como se uma mulher de 30, solteira, tenha falhado no seu objetivo de vida.

O ser viajou os quatro cantos do mundo, construiu uma carreira, ajudou crianças com necessidade, cuida das finanças, anda em um salto alto como ninguém, matou 5 dragões raivosos, mas não laçou um homem para chamar de seu. Que decepção!

Difícil entender essa lógica, mas ela está aí velada nos bares, escritórios e banheiros da vida.

Você não é digna.

Ser solteira não é um carma é uma escolha.

Para mim é tão óbvio essa frase que fico tímida em divagar sobre ela, mas aos desavisados de plantão, vamos lá.

Ser solteira é se conhecer, se permitir, é não ser infeliz por uma cobrança social, é buscar seus planos pessoais, é ser feliz com você mesma, é se amar, se aceitar e se escolher.

Casar não é uma obrigação é um encontro de almas, que vem a somar a vida.

Bem óbvio também, não?

Casar não é um troféu para expor na estante e dizer que conseguiu. Casar é tem um parceiro na vida que some em sua escolhas pessoais, alguém que desperte profundamente o sentimento de felicidade.

Fica um recado para nossa geração, vamos ensinar nossas filhas, sobrinhas e conhecidas a serem felizes, buscarem seus sonhos, realizarem seus objetivos de vida, não a laçar marido, se esse plano estiver em seu caminho, felicidade, se não, igualdade.

Enquanto isso comemore a solteirice com orgulho.

Feliz dia do solteiro!!!

Imagem: Creative Commons

Beijos Descomplicados

Ju

Redes Sociaiscropped-img_0201.png

Facebook

Instagram

 

 

 

 

Foto de Capa: Creative Commons

 

Anúncios

3 comentários

  1. O prazer que sinto em estar comigo mesma é indescritível. Aprendi a saborear a vida melhor depois dos 40 e confesso: não sei se trocaria as sensações da minha solteirice recheada de vigor e prazer de viver por uma corrente amorosa não, hein! Rsrs… Tá é bombom demais !!! 。◕‿◕。 ◕‿-。

    Curtido por 1 pessoa

  2. Essa parte “Fica um recado para nossa geração, vamos ensinar nossas filhas, sobrinhas e conhecidas a serem felizes, buscarem seus sonhos, realizarem seus objetivos de vida, não a laçar marido, se esse plano estiver em seu caminho, felicidade, se não, igualdade.”, vou imprimir essa parte e sair entregando pro máximo de mulher que eu conseguir! Amei o post, Ju ❤

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s